Artigo

Legalizar a Maconha não reduzirá Criminalidade

Compartilhe:

       A proibição do uso de drogas parece sensato para a maior parte da população. São incontáveis os casos de violência, crimes e desvios sociais que os entorpecentes causam na vida das pessoas. Mesmo assim, é argumentado por alguns que esta política de “caça às drogas” é completamente ineficiente, o que aparentemente se mostra verdadeiro, mas seria correto usar deste discurso para legalizar o uso destas substâncias? Se não conseguimos impedir que as pessoas se afundem nas drogas, devemos simplesmente permitir que isto aconteça legalmente na esperança de que seria a solução para o problema?

       Em se tratando da maconha, é uma droga que age no cérebro causando sensação de euforia, prazer e redução da ansiedade. Isso explica em parte a dependência que a “folhinha” causa. A pessoa se sente grande, e vai querer se sentir assim novamente. O preço que se paga é o aumento de pressão arterial, delírios, alucinações, paranoia, perda da concentração, aumento da frequência respiratória e outros prejuízos.
       Alguns buscam legalizar a maconha alegando que ela pode ter aplicações medicinais, uso que realmente pode ser feito. Porém ocorre uma extrapolação com a defesa de liberar o cultivo doméstico. Não haveriam garantias nenhuma de que essa planta seria usada para controlar epilepsia, por exemplo. A verdade é que nossa sociedade não saberia lidar com essa liberdade. Não se pode depositar uma fé cega na ideia de que esse cultivo seria inofensivo.

       Outra questão importante é a respeito do tráfico. Por ser proibido no Brasil o cultivo de maconha, e pelo fato de que existem pessoas perdidas que querem sentir uma euforia passageira, o comércio ilegal do entorpecente é difícil de se controlar. Não será pela liberdade de plantar que se reduzirá a criminalidade. Aumentará a oferta, crescerá a quantidade de dependentes e ainda mais jovens se envolveriam no tráfico que, relativamente, poderia ser considerada uma atividade profissional. Obviamente, não se verificaria uma melhora na nossa sociedade.
       O caminho para combater a dependência e suas consequências não é a alteração das leis para a liberdade de se consumir drogas. Deve ser feito um esforço para combater o tráfico, a marginalização dos jovens, a entrada e produção de plantas entorpecentes e uma mobilização social para reabilitar aqueles que se encontram perdidos. Nossa sociedade, infelizmente, não está preparada para a flexibilização das normas legais. É preciso investir em educação e divulgação a respeito deste perigoso caminho da dependência para que a criminalidade seja prevenida logo na juventude.

Compartilhe:
Daniel Oliveira Paixão

Estudante de Engenharia de Sistemas, concurseiro e, nos tempos livres, blogueiro. Gosto de postar sobre assuntos diversificados e levo a vida no bom humor!

http://www.mitrolaki.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *